quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Domínio absoluto

Andei muito calado à cerca do derby da jornada passada. E este silencio tem uma justificação, nada de anormal se passou, o Benfica ganhou, naturalmente.

Como poderia haver duvidas disso? Temos melhor equipa, em termos individuais como coletivos, temos melhor treinador e sendo a bola redonda e 11 para cada lado, a lei natural das coisas dita que o Benfica seria sempre o vencedor.
Estamos em primeiro lugar, somos a melhor equipa, somos mais regulares em resultados e temos um melhor marcador que tem tantos golos como o adversário ( o do derby ) no seu conjunto total de golos na 1a Liga. Isto, senhores sao factos!

Em jeito de dica aqui vai, sportinguistas, têm que ver como abordam os jogos grandes, jogar de igual com equipas melhores, obriga a um desgaste físico que não têm pulmão para os 90 minutos, abrindo espaços e surgem assim as goleadas, naturalmente...

Jesus foi inteligente em duas coisas, Cardozo e Lima na frente, e deixar o adversário correr atras da bola até estoirarem, depois é deixar a equipa fazer magia!

Noutros campos, há mãos que não são mãos há 3 jornadas seguidas...

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Festança

Na 6a feira foi a ultima noite do Eurobest.
Para quem não sabe, é um dos mais prestigiados festivais de publicidade europeus.

A cerimonia de entrega de prémios foi no Pateo da Galé no Terreiro do Paço.

Confesso que ainda não tinha ido lá desde que aquilo ganhou nova vida. Gostei, ou melhor, adoro, deu uma nova vida à merecida Praça do Comércio que, na minha humilde opinião, é dos locais mais bonitos de Lisboa.

Voltando à festa, bar aberto, publicitários de todo o canto da Europa, boa música e muita felicidade no ar.

A "Agencia do Ano", ficou-se com um rádio em shorlist, o que não é nada mau tendo em conta o gabarito do evento.
Ficou-se mas poderia ter ido muito mais além, outra agencia portuguesa ganhou prata, com uma ideia que eu tinha apresentado internamente meses atrás.

E só não foi para a frente porque há sentimentos de inveja e de forma propositada, mais uma ideia foi atirada para a gaveta.
Estou convencido que começo a fazer sombra a muitos protegidos...

De qualquer das formas nunca trabalhei para prémios, não foi isso que me fez ser publicitário, os prémios são apenas um confirmação que outros colegas teus reconhecem que tens boas ideias, mas não é sinónimo de bom trabalho...
Os prémios enchem os egos dos criativos, se o criativo fosse um animal seria um camelo, com duas bossas cheias de ego.

(In)Felizmente nunca fui assim, acredito no hard work, e superar as expectativas dos nossos clientes, resultados é o que é preciso, os prémios são acessórios.

Nesta minha coerência, dei os parabéns ao Supervisor Criativo da agencia que ganhou prata, porque a ideia era boa, e porque espero que tenha os resultados que eu esperaria ter quando apresentei a mesma ideia ( um pouco mais refinada) meses atrás internamente à "Agencia do Ano".

A única coisa que me deixa triste é não haver a humildade de quem está acima de mim para reconhecer que tinha razão em insistir tanto para que esta ideia tivesse ido para a frente, mas lá está, voltamos o mesmo, é tudo uma questão de ego, e os egos nunca se deram bem com a humildade.

domingo, 25 de novembro de 2012

Saudades...

... de uma francesinha, sangria e boa companhia.

A agência do ano

Conquistámos na sexta-feira (16/11) o prémio de "Agência do Ano" nos Prémios Eficácia.

Sendo assim, sentiria-me orgulhoso e faria questão em ir à entrega de prémios, mas não sinto (por opção)  e não fui (sem opção).

Indo por partes...

Não sinto orgulho, porque não me sinto como elemento que coquistou este prémio, de forma propositada, sou deixado de lado e acreditem que já fiz tudo para que me auto-motivasse, mas chega a um ponto que legalmente ainda tenho uma relação em monogamia com a "Agência do Ano", mas já não dormimos na mesma cama, nem no mesmo quarto, apenas partilhamos as mesmas paredes.
E todos nós já passámos por isso, olhar para o lado e sentir... nada!


Por outro lado, não fui à entrega de prémios, onde poderia começar a angariar contactos para dar um salto e pedir o divórcio de vez à "Agência do Ano" e ir viver uma vida com objetivos, novas aventuras, novos sentimentos, novas paixões.
O problema é que não pude ir, porque enquanto uns se divertiam, bebiam copos e tiravam fotografias, eu estava fechado em frente ao computador a trabalhar numa "Agência do Ano" que parecia fantasma.


O que me choca não é o facto de não ter ido, choca-me a atitude de outros colaboradores, que pouco lhes interessa este prémio e vão com objetivos definidos muito diferentes do que se esperaria para esta ocasião. E têm a lata, muita lata de o dizerem a boca cheia. Seja por um aumento, ou por dar graxa ao CEO, que acaba por ser o mesmo...

E pergunto-me a mim mesmo: "Mas serei só eu a ver isto?"




Uma coisa é não sentir orgulho no prémio, outro é ter consciência de que em vez de estar de copo na mão e a tirar fotografias com o CEO e Diretores Criativos, estou a contribuir para que no próximo ano, tenhamos outro prémio igual na estante.

Cada dia que passa, cresce mais a ideia de ir para fora daqui!





sábado, 10 de novembro de 2012

Faria todo o sentido, se...

... a vida fosse tão simples como a letra desta música!



Mas não é.

(não se trata de nenhuma declaração amorosa, vale para tudo na vida)

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Pedaço de mim

Aquilo que já tinha pensado mas que tinha medo de escrever pode vir a concretizar-se...

Até lá espero que tenha sido apenas um susto momentâneo.

O que posso dizer por agora é que as pessoas embirram em olhar para a frente ou para atrás e esquecem-se de olhar para o lado!

Nos últimos meses sinto-me invisível por muito que esbraceje a avisar que estou e estarei sempre aqui (ao lado)...

A sina na minha vida é que sempre que arranjo forças para combater, há sempre algo ou alguém que me manda abaixo de novo...

Life is good, mas (às vezes) a mesma vida é fodida...

... e eu só tenho esta!

O regresso

9 dias fora deste rebuliço, fizeram-me (mesmo) bem!
Chego a uma empresa completamente desorganizada, onde todos gritam, discutem, barafustam e se queixam.

9 dias, deram para refletir sobre o relativizar das coisas. E cheguei à conclusão que não vale a pena gastarmos os nossos nervos em coisas que não nos merecem perder o nosso tempo.

No regresso, foi claro para mim, que me revia no comportamento dos meus colegas antes de ir de férias.
No pós, decidi que simplesmente não vale a pena. Porque, em primeiro lugar, não me pagam mais por isso e porque tenho uma vida para ser vivida e acima de tudo ser feliz.

Se há uns meses, comecei a cortar nas pessoas que, não por culpa própria, me prejudicam, é altura de começar a cortar com as situações que me prejudicam mentalmente.

Quero paz e sossego, quero dar o meu melhor todos os dias e não preciso de gastar as minhas energias em situações que em nada ajudam o meu bem estar.

O meu regresso é assim, entro de mansinho e com paz de espirito porque aprendi a relativizar certas coisas.

Life is good, o resto relativiza-se!
:)

domingo, 21 de outubro de 2012

Último dia

(Aqui) no céu, foram 9 dias fantásticos de surf. Agora é tempo de voltar à terra e enfrentar o dia-a-dia e sobreviver.
Numa semana e meia de sonho, ficam as recordações, as vistas, os cheiros e os paladares com sabor a mar.

Resta agradecer aos deuses em especial a Neptuno, foi generoso comigo.

Agora é tempo de voltar ao país afundado pelo(s) (des)governo(s), as experimentações sociais da troika, o pessimismo, as manifestações sem uma ideia, um ideal, apenas o reclamar de tudo e de todos.

É este o meu país que (ainda) amo e é por ele que continuo a dar o meu melhor diariamente, mesmo que olhando à volta, não vejo muita gente com a mesma linha de raciocínio.

Vejo um país com gente que quer trabalhar, estando desempregada e vejo gente a trabalhar e a não querer fazer nenhum...
Como o mundo é tão irónico!

Eu continuarei a trabalhar muito, mas a curtir ainda mais!

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Eu que até fazia vida disto...

Lay Day 4.
RipCurl Pro Portugal (novamente) parado por falta de condições.


Este é o ponto de situação da etapa portuguesa do Circuito Mundial de Surf da ASP.

Sendo assim, não há que desperdiçar um único dia e esse dia começa com a procura de ondas.
Peniche tem  particularidade de ser uma península banhada por três costas diferentes, trocado por miúdos, há sempre ondas nesta zona.

A minha busca começa na zona do Baleal Sul, avançando depois para o Baleal Norte, Lagide e se se justificar ir para norte, Almagreira, Belgas, etc.

Pelas condições de ondas excluo automaticamente a outra costa, onde se encontra a praia de Super Tubos e Molhe Leste.

Apesar da falta de condições nesta costa, na total inexistência de ondas em pleno outono! As outras duas costas tem sido generosas presenteando-me com um swell fantástico.
Sinto-me mais ativo, mais energético, apesar do esgotamento físico ao final do dia e ainda apanho um belo bronze (do pescoço para cima!).

A minha menina tem-se portado bem, apesar dos cinco anos que leva em cima e que já merecia a sua reforma dourada. Mas como estamos em contenção de despesas e o governo fez subir a idade de reforma, eu também não a deixei aposentar-se e acompanho assim as medidas governamentais.

A verdade é que estou  curtir estas férias e sinceramente não me importava nada mesmo de fazer vida disto.

Para ser perfeito, falta-me uma mulher, dois filhos e um labrador cor de chocolate e não trocaria isto por nada!

Quando queremos a vida é tão simples, não é?

Eu tenho um segredo...


Confesso que nas minhas férias tenho estado “ligado” à Casa dos Segredos.

O grave disto tudo é que aquilo estranha-se, mas depois entranha-se, como já dizia Fernando Pessoa sobre a Coca-Cola.
Há razões e causalidades para ter este segredo.
A razão é porque em casa dos meus avós só tenho a TDT. E por isso ando a papar os diários na TVI.  A causa é que ainda por cima, aquela porcaria dá à hora que chego a casa depois da ida ao café depois de jantar.
Mas o que me fez escrever sobre isto é que no outro dia assisti à coisa mais execrável que vi nos últimos tempos da televisão portuguesa, quando um concorrente da “casa”, revelou o seu segredo, “fui abandonado pela minha mãe quando fiz 12 anos”. O ato hediondo, não foi a revelação do seu segredo mas o momento que se seguiu...

Infelizmente conheci 2 pessoas na minha vida que tiveram um acontecimento semelhante, foram abandonadas pela mãe aos cinco e três anos, facilmente se percebe que a mãe era a mesma e que são irmãs.

E o que se seguiu, foi a coisa mais mesquinha que se pode fazer a uma pessoa, quando esta está fragilmente exposta por este infeliz acontecimento, tendo a coragem de o revelar a uma audiência televisiva, e a apresentadora do programa,  a Teresa “Queixadas” Guilherme, a puxar pelo pobre rapaz que já estava desfeito.
Os canais procuram cada vez mais as audiências, mas isso para mim, não justifica o que aconteceu, principalmente para dar as tais audiências, com a justificação que o pobre rapaz tem que se sujeitar a este degradante espetáculo, porque assinou um contrato com o diabo, a produção do programa.
Não é a merda de um contrato que desculpa aquele lixo televisivo, também não são as audiências, porque ninguém deveria sujeitar-se ao abandono de uma mãe tenha 12, 5 ou 3 anos.

Naquele momento tive vontade de ligar a uma pessoa, apenas para saber como estava, apenas para dizer que “estou aqui”, mas não o fiz.
Não o fiz, porque ela me disse que há coisas que não fazem já sentido, mas para mim, são essas coisas que fazem mesmo sentido, infelizmente ao não fazer nada dou mais força a atitudes egoístas, superficiais ao invés de demonstrações de solidariedade, amizade, amor ou altruísmo.

Começa a ser claro para mim que é para aí que o mundo caminha e cada vez mais as pessoas menos valorizam aquilo que para mim deveria ser valorizado, parece que sou eu contra o resto do mundo e sendo assim, porque não tenho as forças para lutar contra este mundo, lá continuarei a alimentar este meu segredo.

Lay Day 3

Já com o Saca de fora, eliminado ontem, o campeonato pára mais uma vez.
Um vento forte de on-shore fez com que a praia de Super Tubos nao tivesse condições e mais a vez foi adiado.
Pelo que pude ver o campeonato vai passar para a praia do Molhe Leste, das duas uma, ou vem aí um swell gigante, ou a mudança deve-se por causa do vento.

Nem tudo foram más notícias, na outra costa soprou um off-shore num metro perfeito. Foi das melhores surfadas da minha vida, e as melhores condições que apanhei este ano, com o bónus de ter um pico triangular só para mim, depois de 3h30 de surf, saí da agua já com o sol posto e radiante.
Se as pessoas já nao me desiludem, Neptuno surpreendeu-me!

Life is good!
Some people don't...

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Lay Day 2

Ainda nao foi hoje que começou o Rip Curl Pro nos Super Tubos.
O swell que estava previsto chegar, atrasou-se por (pelo menos) mais um dia.
Hoje foi dia de ir até à praia e ver como estava o ambiente do campeonato antes da enchente prevista do fim de semana.
A praia essa estava já bem composta, com a agitação natural de um evento como este, muita animação dada pelos patrocinadores e muita gente cool!

Também foi dia de visitas, a minha prima Maria veio passar o dia e trouxe uma amiga, visitas destas é o que eu preciso!
Acabei por trocar uma surfada de ondas pequenas por uma agradável conversa a três na esplanada.
É bom ter estas visitas, já sentia falta de algum carinho por parte de alguém.

Foi um "beautiful day", hoje!

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Peniche round02

Voltei à cidade que me viu crescer nos verões da minha infância e adolescência.

Infelizmente hoje é o segundo dia de Lay Day do Rip Curl Pro, para quem não percebe nada disto, quer dizer que a prova foi adiada mais um dia por falta de ondas.

Entre a azáfama de descarregar as coisas para uma semana e tal e ir a correr para a praia à espera de apanhar um final de tarde, ainda deu para preparar um lanche tosco e seguir novamente para a estrada. Sou conhecedor das praias desta zona, normalmente há sempre ondas por aqui.
Hoje, pelos vistos não encontrei nem meio metro para poder molhar a minhoca. Em vez de ir para casa, parei junto à praia e fiquei a contemplar o mar, o barulho do vento e o cheiro a maresia.

Sinto-me como novo e amanhã há mais!

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

As pessoas (já não me) desiludem


Já foram tantas as vezes nos últimos tempos que temo estar a ficar imune à desilusão.
É triste pensar assim, perder a fé nos humanos, mas a verdade é essa. Sou uma pessoa fiel, amiga do amigo, se fosse um animal de certeza que seria um cão, daqueles dos bons, que mesmo que o dono tenha um dia de merda, o "canito" lá vai recebê-lo à porta de casa, com uma alegria imensurável de como já não o visse há um bom par de semanas!
Pois esse cãozinho sou eu, não interessa a raça, o pedigree ou outras etiquetas. Sou daqueles que podem confiar e quem anda pela minha órbitra, não tem dúvidas disso.

Mas tal como o canito que abana a cauda na chegada do seu dono, também gosto de me sentir importante e notado, mas ultimamente em vez de receber uma "festa", voam chinelos, jornais enrolados, tudo o que tiverem à mão para atirar ao pobre cãozito que apenas quer uma demonstração de carinho.

Infelizmente tem sido assim para mim nos últimos tempos.
Talvez por isso me isole (ainda mais!) dos humanos, cheguei a um ponto que estou farto da estupidez humana.

Ontem, caíram-me as lágrimas em frente à televisão, por nada que estivesse a ser transmitido, por nada palpável que possa transcrever numa palavra, linha ou parágrafo. Talvez tenha chegado o ponto de saturação, talvez entrasse de férias e me sentisse (mais uma vez) só. Talvez porque dentro do meu castelo, o guerreiro se tenha ido abaixo, na véspera da próxima batalha...

Estou cansado de ser o "conas", ou do mr. right, que nunca faz o suficiente e quando tenta, sai tudo errado. Nunca fui, nem me considerei um príncipe encantado, nunca tive um ego desmensurado, nunca olhei para a frente e segui caminho, prefiro olhar para o lado ou para trás e esperar pela(s) pessoa(s) que me acompanha(m) na vida... tudo isso é muito correto e louvável, mas quando sou eu que me atraso vejo os outros a caminhar em frente, muitas vezes acelerando o passo e isso é o que me mais magoa.

Dói bastante, mas já não me desilude. E isso é o que realmente me preocupa.

Depois oiço os humanos a queixarem-se que este e aquele os desiludiram, que afinal era tudo apenas palavras, mas os atos ficaram esquecidos quando precisaram destes. Mas à primeira oportunidade é para estes, dos quais se queixam, que enviam mensagens, fazem telefonemas e combinam encontros e todos os queixumes ficam esquecidos.
E eu pergunto-me será que estes humanos são bons da cabeça?
Sendo um "conas" para uns e o canito fiel para outros, parece-me nunca ser o suficiente para os patamares de exigência dos humanos...

... ou então, estarão eles errados e não dão valor ao que realmente importa. Honestamente, não sei responder a isso, cada um que faça essa reflexão, porque eu continuarei a abanar a cauda para quem me der "festas" em troca.

Entretanto vou-me desviando dos chinelos, rolos de jornais e afins que surgirem pela vida.


sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Uma bandeira de pernas para o ar, uma referência do jornalismo que se apaga, umas miniaturas mal planeadas...

É provável que este foi o título de um post mais comprido que escrevi, provavelmente nenhum dos assuntos no título tenham nada a ver entre si, mas o mais provável é que até tenham! 

Hoje na comemoração da Implantação da República Portuguesa, num erro grave, o Presidente da República desfraldou a bandeira de Portugal de pernas para o ar! É grave, porque na Constituição Portuguesa esse ato é considerado crime. Mas ir buscar outros fait divers a este acontecimento, não passam disso mesmo, fait divers
Ainda bem que isso aconteceu, é uma imagem realista que o país atravessa, não conheço ninguém que não considere que a sua vida ande de pernas para o ar, não há esperança e o pessimismo cresce (mais ainda) entre os portugueses. 
Quero acreditar que neste infortúnio, este ato (grave) carregado de simbolismo negativo mas muito realista, seja um sinal que a partir de hoje vamos dar uma volta de 180º nas nossas vidas, para melhores dias, obviamente!



Hoje de manhã, Margarida Marante deixou-nos prematuramente aos 53 anos, uma referência no jornalismo, entrevistou as grandes figuras públicas nos últimos 20 anos, gostava dela, uma profissional rigorosa, independente e séria. Vai deixar saudades!


Hoje comprei umas miniaturas de bolos a pensar que ia fazer um lanche gostoso, apresentar a minha nova casa e passar umas horinhas à conversa.
Infelizmente, foi tudo por água abaixo. Pensamento positivo do dia: vou ficar com uma caixa de miniaturas só para mim!



Se ainda não descortinaram o que estes acontecimentos têm em comum entre si, segue a esperada revelação nos parágrafos seguintes...

... planeamento!

Vejamos:
Se alguém tivesse planeado bem aquelas coisas a que chamam de protocolo, nunca a bandeira teria sido hasteada de pernas para o ar, não haveriam um chorrilho de posts nas redes sociais a falarem do mesmo, a empolgarem um acontecimento que só tem apenas como fato de ter sido infeliz (embora seja grave);


Se Deus existe, o seu planeamento está mal feito, roubar tão cedo a vida desta excelente profissional, é indesculpável, é infeliz e grave;

Se eu tivesse convidado antes de ir às compras, o mais certo é não ter gasto dinheiro numa caixa cheia de miniaturas de bolos e lanchava um papo seco com um chá e seria o suficiente. Lição de vida: seja um acontecimento grande ou pequeno, devemos planear, garantir as confirmações de presença e só depois ir às compras.

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Uma noite especial

Para mim, sem dúvida nenhuma, o jogo do ano!

Ouvir o hino da Liga dos Campeões com as minhas duas equipas do coração no relvado, arrepia!

Ver um estádio em pé, perto de 64.000 adeptos, a aplaudir a saída por uma lesão infeliz do capitão da equipa adversária, arrepia!

Sentir um misto de alegria e dor pelos dois golos sofridos/marcados, arrepia!

Tive a sorte de presenciar pela segunda vez na minha vida um duelo de dois grandes clubes mundiais, meio sonho está realizado. A outra metade, estará completa em Camp Nou, por agora, estou longe de ver esse sonho concretizado. Mas um dia... estarei lá!

Irritam-me certas atitudes do portuguesinho, gritar Ronaldo quando Messi toca na bola, não é ser adepto de futebol, muito menos benfiquista!

Salvo a devida comparação, revejo-me no Messi, na sua humildade, do não amuar, nem fazer birras, de um profissional exemplar que nunca se ouviu falar das namoradas, carros e rambóias.
É um talento puro, um diamante bruto que foi magistralmente lapidado.

Assobiar um génio destes é o mesmo que aplaudir um Ferrari e apupar um Lamborghini, não faz sentido para quem tem dois dedos de testa...

Tanto Messi como Ronaldo são excelentes jogadores, os melhores do mundo e ambos aplaudo de pé!
Apenas acho que Messi é talento puro, o Ronaldo um talento que trabalhou muito para chegar onde chegou.

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Coração dividido

Será o Aimar e Messi, mais 10 para cada lado.
2 clubes do coração que está dividido.
Hoje vai haver magia, muitos sentimentos à flor da pele, que ganhe o Benf...celona!

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Isto não está nada fácil...

Regressar de férias e acordar cedo para ir trabalhar, custa! Hoje só mesmo de grua!
Mandem uma destas para minha casa, Oh faxe fabor...

O regresso agridoce 2/2

A segunda experiência que me marcou, foi a visita de uma rua, para muitos uma simples rua, numa de muitas novas urbanizações em Peniche, mas para mim a rua do meu avô.

O meu avô, foi sempre um homem muito ativo, tinha um olhar azul profundo, meigo e pacificador. Era uma pessoa que se preocupava com o próximo e na sua vida deu muitos exemplos disso.
Foi Presidente da Câmara Municipal de Peniche, onde foi responsável pelo primeiro bairro social na cidade. Mandou construir um pontão que hoje é conhecido como o Molhe Leste, tendo uma praia com o mesmo nome, tornando o porto de pesca muito mais seguro para os pescadores.
Foi Presidente do Grupo Desportivo de Peniche, o clube de futebol local, onde dava a cara pelo clube nas horas difíceis, não se livrando de levar uns murros e bofetadas em derbies locais de adeptos dos clubes rivais. Demonstrando que era um homem de convicções fortes, mas acima de tudo, muito justo.
Foi detentor de mais alguns cargos de relevância na cidade e duas décadas depois da sua morte, soube que a cidade lhe deu uma rua.

Fui visitá-la pela primeira vez e senti-me tão pequenino ao pé de um homem que foi e será sempre um grande homem, o meu avô!
Espero um dia conseguir um décimo do que ele conseguiu na sua vida...


Ao olhar para a placa, relembrei as longas horas que passava com ele a olhar para a sua coleção de moedas que tinha e que acabei por herdar dando continuação à coleção. Saudades tuas!

O regresso agridoce 1/2

De volta a Lisboa, tinha saudades deste movimento que faz parte de uma grande cidade. Fazia-me falta o falar com alguém, nem que fosse aquela conversa de deitar fora na varanda da minha empresa enquanto se dá umas passas num cigarro.

Pensando bem, nem estive mal, estava bem comigo mesmo e como tão bem um colega meu disse, nessas mesmas conversas de varanda, fui ter com o criador. (nada de experiências de morte iminente, porque ainda tenho muito para dar!)

Estive perto dos deuses sim, mas foi daquelas viagens espirituais que serve para refletirmos sobre nós e todos que me rodeiam.

As pessoas que são importantes e que nos fazem falta, até as menos importantes e que devemos fazer o "desligamento" total porque não nos trazem nada de positivo a nós, tiveram um espacinho nos meus pensamentos. As importantes porque queremos que estejam mais perto de nós, mesmo que por vezes isso não seja possível, por muito que queiramos. Mas como em tudo, a vida prega-nos partidas e aproveitamos viagens assim para focarmo-nos no nosso caminho.

Nesta viagem, aconteceram vários momentos para mim especiais, dois deles foram os mais marcantes.
No último dia de férias, não quis surfar, os meus músculos doíam-me depois de vários dias a surfar 2 a 3 horas seguidas.

Apeteceu-me caminhar no areal, onde só soprava o vento e se ouvia o barulho das ondas a quebrar junto à praia. Tive a felicidade de não haver vivalma, estava sozinho comos meus pensamentos que me levaram por aquele extenso areal.

Lembrei-me de quando era criança e a minha mãe me levar à praia para apanhar beijinhos (para quem não sabe, são um misto de búzio com concha, são tão pequenos que uma centena destes crustáceos cabem numa palma da mão), andávamos horas nisto e trazíamos as mãos cheias deles.

A minha mãe sempre teve o dom de me manter ocupado, talvez por ser o seu único filho, mas fazia destas pequenas atividades, verdadeiras caças ao tesouro. Fazia-me uma criança especial e acima de tudo feliz!

Relembrei tudo isso, com um misto de alegria e de tristeza, o primeiro sentimento porque recordei memórias de uma infância feliz, mas por outro, sinto-me incompleto, gostava nesta altura da vida recriar estas experiências e partilhar com os meus filhos.
Senti a falta de um sorriso de uma criança que fosse minha que me visse como o seu herói, o seu Indiana Jones em busca do maior tesouro do mundo, mesmo que fossem as tais pedrinhas que jaziam naquele areal.

Senti que fui uma pessoa que (quase) tive tudo e hoje estou tão longe de ter aquilo que verdadeiramente queria, uma família.
Tenho 35 anos e sinto que falhei em quase todos os aspetos da minha vida, apesar de me manter positivo e olhar para as coisas e pessoas de forma positiva, a verdade é que o meu coração sente a falta desse amor incondicional que um pai sente pelo seu rebento.

Se pudesse escolher, não teria qualquer dúvida, trocaria qualquer luxo do mundo para ter alguém que pudesse aconchegar e dar as boas noites todos os dias. Trocava as jantaradas (que não tenho feito), os copos, as compras, os vícios por tudo isso!

Nem tudo é triste, esta história tem um final feliz, todas as pedrinhas que apanhei trouxe-as comigo e espero um dia retomar essa aventura com a pessoa que irei amar incondicionalmente...




... por agora estão guardadas, já que vão fazendo parte da construção do meu castelo!



sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Uma imagem que é apenas uma imagem

A menina dos cabelos ruivos achou que na sua ingénua cabecinha iria conseguir que um policia de intervenção tirasse a farda e se juntasse a ela na sua caminhada pelo mundo perfeito de Adriana.
Isto poderia ser o inicio da história do Feiticeiro de Oz, mas nao foi.

Depois de ter lido a sua entrevista onde fala da sua motivação, achei que era apenas parva.

Resumindo o que se passou realmente, a ruiva tem um fetiche com homens fardados e o policia até dava uma trinca na ruivinha que se atracou a ele por momentos no centro da manifestação...

Uma mão cheia de nada

Foi isto que senti em relação à manifestação que houve por todo o país.
Afinal qual era a mensagem que se queria passar? Descontentamento? Óbvio. Que se lixe a troika? Como assim?
Então os nossos males são a troika que nos mete uns milhões para evitar que o nosso país entre em bancarrota.

O nosso mal não é a troika, o nosso mal já nem é defeito, mas o feitio. O feitio desta gente, que sempre achou que nos íamos safar à ultima, como o fazemos sempre. A tal "qualidade" tão portuguesinha do desenrascanço.

O tal xico espertismo que nos gabamos, mas até onde nos levaria?
Batemos no fundo, e continuamos a rejeitar as responsabilidades que qualquer cidadão de uma Europa a sério se exige.

Sinceramente continuo sem perceber qual a mensagem que mobilizou tanta gente, alguém de certeza me vai esclarecer desta duvida existencial porque quem manda lixar a troika concerteza tem um plano alternativo para darmos a volta a isto!

Mandemos a troika se lixar e o resto se resolve, certo?

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Crenças

Eu ainda sou dos tolos que acredito no amor e numa cabana... E umas ondas!

domingo, 16 de setembro de 2012

Descanso merecido...

Uma semana de férias, na altura certa.
Com temperaturas (ainda) de verão vou rumar para Norte de Lisboa.

O projecto original era voar até Madrid, mas por falta de comunicação com a anfitriã acabei por cancelar a visita a nuestros hermanos.

Sendo assim, a alternativa obvia é viajar cá dentro. Vais ser uma semana com muita praia, sol, calor e surf, surf e mais surf!

O melhor esparguete dos últimos tempos

Por vezes não precisamos gastar muito, ou mesmo (quase) nada!

Basta gastarmos um pouco do nosso tempo com boa companhia e o jantar foi mesmo o melhor dos últimos tempos!

Voltei ao Bairro, pareceu-me que tinham passado séculos desde a minha ultima visita e bebi a melhor sangria que não há memoria.

Obviamente que estou a exagerar, mas só precisamos de coisas simples, ser nós próprios, para ter uma noite a roçar a perfeição.

Uns precisam de muito, outros de pouco, mas eu apenas preciso de coisas simples. Confesso que sou um bicho fácil de contentar...

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Hamburguer do bom

Perto da empresa de onde trabalho, existe um restaurante que abre só para almoços. A sua especialidade é apenas o Hamburguer e há para todos os gostos. Simples, Alho, Picante, Queijo, Bitoque, Porto, queijo azul e pêra, hambuga, Serrano, Serrano mirtilo... E estas são apenas as opções de novilho!
Já provei quase todos e é difícil escolher um preferido, por hoje vai um de alho... E Hambuga é o nome do estabelecimento.

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Orgulho nos "Bês"

Hoje fui ver o Benfica B contra os Belenenses.
Foi uma mão cheia de golos e mais um dedinho, meia dúzia!
Ontem a equipa principal goleou o Vitória (de Setúbal), o meu Glorioso está bem e recomenda-se.
Mas o que me enche de orgulho são os putos que jogaram hoje, uma equipa jovem, cheia de talento e recheada de portugueses.
Só espero que sejam aproveitados para a equipa principal, têm valor para isso.

Lamento que uns energúmenos que acham que por acabarem de largar as fraldas, pensam que o Meu Benfica é deles e vai de insultar com cânticos os adeptos adversários (sem que houvesse do outro lado provocação), presidente do Benfica e o próprio Belém, um clube centenário que muito estimo e respeito.
Num jogo com um pouco mais de 3000 adeptos, o que justifica rebentamento de petardos e insultos a adversários?

Para mim as claques nao fazem falta no futebol, é o desporto rei, e este ajuntamento de putos com cócó na fralda, malcriados e sem saber honrar os adversários numa humilhante derrota, não poderão fazer falta ao espetáculo.

Uma palavra para os adeptos e equipa dos Belenenses, souberam perder e foram dignos na derrota. E é isto que engrandece um clube, mesmo que tristemente esteja afastado da Liga principal do futebol portuguesa...

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Silly season

Imagem retirada numa pesquisa no google

A "Silly Season" é a época do ano que coincide com o "pico" do verão, neste querido mês de agosto, a ausência de fatos relevantes leva a comunicação social a noticiar todo o tipo de "notícias" que pouco ou nada têm de interessante para a intelectualidade de um povo. Desde as festas, aos romances, aos casos, aos encontros e desencontros dos famosos e menos famosos tudo vale para ser "notícia".

Sempre ouvi falar nas paixões e das amizades de verão. Pessoalmente nunca embarquei nessas aventuras. Não é que seja um preconceito meu, pelo menos consciente, talvez seja mais uma convicção, mas sempre senti que essas relações são supérfluas, têm sentido nos dois ou três meses desta estação, depois as temperaturas arrefecem e o mesmo se passa com essas relações.

O meu verão tem sido, tudo menos supérfluo, estou a erguer aos poucos o meu castelo e tenho canalizado todo o meu dinheiro na minha casinha. Poderiam dizer que "este gajo não vive a vida", vivo sim, mas de forma diferente, prefiro gastar as minhas poupanças em algo palpável que me fará render algum conforto no futuro.

Confesso que não tem sido fácil resistir às tentações de verão. Mas prefiro gastar o dinheiro naquilo que me é realmente importante, do que gastar em jantaradas, petiscadas, copos e discotecas.

Nesta época gosto de observar as pessoas e os seus comportamentos, sem as julgar, porque não sou de julgar ninguém, apesar de gostar de uma boa cusquisse.
Há quem faça quilómetros para ir para os sítios da moda, ver as mesmas pessoas, e voltar com as mesmas histórias do ano anterior. Há quem aposte a sua silly season em novas amizades, novas vidas e novos hábitos. E há aqueles que pura e simplesmente fogem disto tudo e viajam para fora daqui.

Confesso que, (e já vou na segunda de hoje!) os que me fazem mais inveja são os viajantes, porque sempre adorei viajar e há uns três/quatro anos (já perdi a conta!) que não viajo. E viajar faz-nos bem, é uma forma de podermos fazer um reset às nossas vidas e voltar com energias positivas carregadas, não só pela experiência cultural da viagem em si, mas também por sairmos da nossa zona de conforto e rotina diária.

Como disse à dois parágrafos atrás, observo os vários tipos de pessoas sem qualquer tipo de julgamento, cada um sabe de si e cada um sabe o que quer para a sua vida. Se mais cedo ou mais tarde estarão de acordo com o que disse nos primeiros parágrafos, é com elas e cabe a elas mesmas tirar as suas próprias conclusões. O que importa no final das contas é que se viva, de forma intensa, seja na silly season ou no resto do ano.

Em jeito de conclusão, felizmente tenho o tal castelo para levantar, porque tive uma vontade imensa para ser mais um silly desta season, o chamamento foi forte mas a capacidade de resistir e a vontade de erguer muralhas a esse capricho supérfluo foi mais forte.
Passei muitos momentos sozinho, de completa solidão e tristeza sem fim, como nunca tinha sentido antes e cheguei a desviar-me do caminho que tinha traçado.
Não me orgulho de dizer, mas nos momentos que me senti mais só fui para o casino de Lisboa, para estar no meio de gente, de estranhos que têm maus hábitos de vida. Constatei que facilmente se cai nessa vida, perdi algum dinheiro, nada de grave mas que me teriam dado muito jeito para as prioridades que tinha estipulado.

Tenho a coragem de desabafar o meu momento silly desta season que nada me orgulha, mas que ficará aqui gravado e que me fará recordar que mesmo em momentos de solidão, há muito mais coisas a fazer para combater esse sentimento!

Desejo a todos uma feliz silly season!

sábado, 18 de agosto de 2012

Let the games begin

Compra de bilhete de época: check!

Fome de bola: double check!

E é tão simples fazer um homem feliz!

Segunda temporada

Já tinha dito o quanto gostei da 1a. Temporada da série "How I met your mother"?

Já tinha dito o quanto estou a gostar da 2a. Temporada da série "How I met your mother"?

Não?!?!

Tenho dito.

terça-feira, 14 de agosto de 2012

4º dia

Ao quarto dia de férias, o dia que precisei tirar para descansar o corpo, surfei muito, voltei a lugares que há muito tempo estava ausente. E acima de tudo, perdi-me a caminho destes.

A vantagem de nos perdermos é que sempre encontramos coisas novas para descobrir, sentir ou saborear. Adoro perder-me, porque já sei que vou encontrar coisas boas pelo caminho.

Ontem jantei com "velhos" amigos, conheci uma pessoa nova, a princezinha deles. Conversámos muito, rimo-nos ainda mais, sem máscaras, apenas sendo nós próprios como o fazemos sempre, sem horas, sem pressões como deveria ser sempre.

Às vezes faz falta momentos destes, intemporais, porque seja verão ou inverno, eles continuarão sempre a ser as mesmas pessoas, as mesmas gargalhadas.

E no fundo, sabemos que eles estarão sempre lá!

No inicio da noite, olhando para o berço pela primeira vez, L. esboçou um sorriso, dando-me as boas-vindas à vida que está agora a começar para ela. Se um bebé de um mês consegue passar um feeling tão positivo, nós tão adultos, somos obrigados a fazer o mesmo todos os dias.
E no final da noite, recebi o melhor elogio que poderia ter: "Estás de volta ao que eras, positivo e otimista!"

São as tais mudanças que estou a sentir na minha vida, e que pelos vistos os outros também sentem...

Life is good!

P.S. - O tapete está cada vez mais no sítio onde deve estar, no chão. E eu vou-me erguendo sem pressas.

That one rocks!

Sempre fui um fã de séries.

Neste momento, para ocupar alguns momentos de solidão, ocupo-os com séries, por vezes vejo episódios em catadupa, o que acontece frequentemente. Tenho em lista de espera pelo menos mais 5 séries.

Ontem acabei a 1ª temporada desta:



E hoje vou mandar-me já para a segunda!

São pelo menos 7 (s e t e!!!) temporadas!

Para quem não conhece, é sobre a vida de Ted, o personagem principal e mais 4 amigos: Lilly e Marshall, o casal de namorados que vive com Ted. Robin, uma jornalista de um canal pequeno com um share de audiências dúvidoso (arrisco a dizer que tem menos seguidores que este blogue) e a paixão de Ted. E Barney, o solteirão engatatão do grupo, com as suas teorias mirabolantes de engatar miudas.

Passa-se em Nova Iorque e é filmado basicamente em dois sets, no apartamento do Ted, Lilly e Marshall, ou num bar onde estes amigos se encontram, (sim, é o formato de séries passadas em Nova Iorque, tal como Seinfeld ou Cheers...).
Não é daquelas séries de comédia inteligentes, como Seinfeld, mas é uma boa comédia, soft, para um final de dia no intervalo de chegar a casa depois de um dia de trabalho e hora de deitar.
 
Adeus momentos de solidão...

domingo, 12 de agosto de 2012

sábado, 11 de agosto de 2012

mini vacaciones

Cinco dias de férias sem pôr os pés na firma!

E com uma longa lista no To Do List...

Hey Ho Lets Go!


quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Changes

"Change is constant. How we experience change that's up to us. It can feel like death or it can feel like a second chance at life. If we open our fingers, loosen our grips, go with it, it can feel like pure adrenaline. Like at any moment we can have another chance at life. Like at any moment, we can be born all over again."

Vi esta frase no perfil de uma pessoa que conheço. E gostei!
Como tudo na vida, estão sempre a acontecer mudanças, umas positivas e outras menos, o que importa é como encaramos essas mudanças... e acima de tudo o que aprendemos com estas.

Encaramos as mudanças como uma morte, um ciclo que fecha e não volta mais.  Isto porque na maior parte das vezes é mais fácil encararmos as mudanças dessa forma. E se há  mudanças que são difíceis de enfrentar, por vezes são, segundas oportunidades de "voltar" a viver a vida plenamente.

A propósito disto, no outro dia em conversa com uma amiga, calhou falarmos de mudanças na nossa vida, umas mais recentes outras mais antigas, a conclusão a que chegámos é que nas mudanças menos positivas é que aprendemos um pouco mais sobre nós.
Se tudo fosse perfeito, não aprenderíamos nada com os outros e connosco mesmos, por muito que certas mudanças nos custem.

Ao aceitarmos essas mudanças como parte da nossa vida é que teremos capacidade de "nascer" outra vez!

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Somos grandes

E não é em altura.

Todos temos algo dentro de nós que nos faz especiais, que nos faz grandes aos olhos dos outros, infelizmente não cultivamos essa grandeza tanto como deveríamos.

Há quem diga que é a nossa individualidade, aquilo que nos diferencia uns dos outros, aquilo que nos torna especiais.

Mas por teimosia, por nos querermos e termos a necessidade de nos sentirmos inseridos na sociedade ou porque simplesmente acharmos que a galinha da vizinha é melhor que a nossa, inconscientemente anulamos o que de bom temos dentro de nós, a tal grandeza que todos temos dentro de nós.

A Nike não é um patrocinador olímpico destes jogos de Londres no Reino Unido, "who cares", há muitas mais Londres e gente grande espalhada por esse planeta.



Vi este vídeo e o copy tocou-me, lembrou-me que eu sou grande tal como qualquer pessoa.

Sejam grandes também! :)

Alguém vai dizer bye bye aos recibos verdes...

Ah poijé!
Só tenho pena que tenha sido um ano e meio depois do prometido.

E mais pena tenho que seja por causa de uma visita surpresa da Inspeção Geral do Trabalho...

... Mas como diria alguém:
"Mais vale isso que um pau pelas costas abaixo!"

Já tinha aqui escrito que estava a sentir um clima de mudança na minha vida, apesar do sucedido e, parecer uma situação totalmente forçada, tenho razões para encarar a vida com otimismo e aproveitar as good vibes que por aqui andam! :)

E cheira-me que as mudanças não vão ficar por aqui!

domingo, 5 de agosto de 2012

where the good people go?

Cada vez mais faço esta questão a mim mesmo, mas de vez em quando lá surgem boas pessoas na nossa vida.

No meu caso, uma voltou à minha vida.
Depois de anos sem nos falarmos, J. voltou! E hoje tenho a certeza que voltou para ficar, olhando para o último ano, ela foi incansável, enfrentou os meus momentos menos bons, recebeu-me em casa dela, deu-me jantares e muitas horas de conversa, ouviu-me sem reclamar ou esboçar um suspiro de seca, mesmo que o assunto fosse totalmente desinteressante para ela.

E acima de tudo, tentou sempre puxar-me para cima.

Definitivamente, é uma pessoa que vai ficar ao meu lado por muitos e bons anos, arrisco aqui a escrever, que será a primeira pessoa a seguir aos meus pais, que vou apresentar à minha futura namorada (não tem data prevista de chegada e não é neste momento a minha prioridade).

Ontem, provou mais uma vez que é uma excelente pessoa, depois de uma confusão com telemóveis sem bateria, foi ter comigo duas vezes, apesar de já estar em casa para ir beber um copo comigo para conversar um pouco.

São estas pessoas, neste caso uma amizade antiga interrompida por alguns anos, que numa segunda oportunidade de reencontro, não devemos cometer o mesmo erro de nos afastarmos.

J. já está colada com super cola 3 à minha vida e não vou deixar que fuja de novo!

Por isso tudo isso...

Obrigado, J.!



Por outro lado, vi uma pessoa que já foi muito amiga, ou pelo menos eu pensava que sim.
Há uns anos atrás essa pessoa enfrentou um divórcio, mantive-me ao lado dela, apanhei secas descomunais, mas estive lá para a ouvir e nunca reclamei.
Anos mais tarde, quando precisei de ouvir um "olá" ou um "como estás?", numa fase menos positiva da minha vida, do outro lado, restou o silêncio.

Ontem senti alguém a olhar para mim, quando estava a pedir uma cerveja num balcão, olhei pelo canto do olho, e lá estava ela, fingindo que não me viu.

Conhecendo a personagem como conheço, já espalhou as notícias que me viu com uma namorada nova, a J., porque infelizmente é o tipo de pessoa que só está bem a ver os outros infelizes e a criar falsos boatos sem conhecimento de causa.

Para essas pessoas, já encomendei isto no ebay:



Para as mandar para bem longe da minha vida! :D

se os filhos da puta voassem não veríamos o céu...

Ri-me tanto no último post que tinha que dar algo de errado.

Pensando friamente, nunca saíria às 18h e quando digo nunca é mesmo  N U N C A.
Mesmo que a empresa esteja a arriscar-se a pagar uma pesada multa, há sempre um filho da puta que me entala, o pior de tudo é que é sempre o mesmo a ser entalado e o mesmo filho da puta a entalar...

Vamos por partes.

Recebemos todos sem exceção (sim, até os filhos da puta receberam!) um e-mail do diretor geral do grupo às 15h00, para que fosse cumprido o horário sem exceções e que a hora de saída fosse respeitada porque poderia ter graves consequências para a empresa se alguém ficasse na empresa depois do horário de funcionamento.

Até aqui nada de anormal, até que entra um filho da puta na equação!


Não é que uma hora depois (mais coisa menos coisa) entra um briefing de alterações que ia-me levar umas belas horas para terminar?!!?

Eu avisei que tínhamos que sair às 18 horas e que seria impossível terminar a horas.

A resposta do excelentíssimo senhor filho da puta foi esta:
"-Não me interessa já disse que sim à cliente."

Conclusão, graças àquele grande merdas acabei por sair às 20h30. E o que é que o gajo estava a fazer?
N A D A. Traduzido por miúdos, a ver o Sporting a levar na pá num torneio de merda.

A sério, já não tenho cu para isto!




sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Ahahah

Ainda me estou a rir! A inspeção do trabalho está na eminência de fazer um raide à empresa onde trabalho!
Consequências? Ordem para sair todos os dias às 18h... Pelo menos durante as próximas duas semanas!

Vou ter vida pessoal novamente!!!

Só acho estranho é sabermos com antecedência da visita surpresa, mas hoje em Portugal já nada me admira...

domingo, 29 de julho de 2012

Grande noite!

Ontem foi noite de ir ao Lux!

Há tempos que não lá ia, diverti-me bastante. Bom som, graças ao meu amigo e colega Alberto Vieira, gente bonita e bom ambiente.


Sempre que vou lá acontece o "fenómeno do Entroncamento" até hoje nunca consegui arranjar uma explicação racional e plausível para um qualquer comum dos mortais... nunca, mas nuuuuncaaaa saio de lá antes do sol nascer.

Não preciso de dizer que o dia a seguir ando feito zombie!

De qualquer das formas, foi uma noite a roçar o limite da perfeição. Além disto tudo que escrevi há sempre umas figuras a que gosto de apelidar de Party people que, infelizmente só vou conseguir postar aqui um dos exemplos, o meu telélé decidiu ficar sem bateria a meio da noite. :(

Mas posso-vos assegurar que estavam lá mais dois vindos diretamente de Wimbledon dos anos oitenta. Só faltava a raquete de madeira, porque a bela da meia branca da raquete, o calçonito branco e polo a condizer da Lacoste e a fita da cabeça Wilson estava tudo lá e teríamos uma final digna de um ATP, categoria "clássicos"!

Deixo-vos alguns recuerdos de uma noite muito bem passada...



"We cannot escape from each other"
(Eu não consigo, os outros é que parecem escapar-se de mim)

"The dark side of the force"
(Porque tods nós temos esse lado dentro de nós)

"Party people"
(gostava de ter cojones para me apresentar assim no Lux... lole)

sábado, 28 de julho de 2012

Cabelos brancos

No outro dia de manhã estava diante do espelho e comecei a reparar que estou com muito mais cabelos brancos. Sim, muito mais porque já tinha uma mão cheia deles espalhados pela cabeça.

Certos homens nesta altura estariam a começar a ficar deprimidos, outros em passo de corrida para um barbeiro para aplicar uma camada de tinta na mona.

Sinceramente é uma coisa que não me preocupa, pelo contrário, toda a vida ouvi dizer que dão charme a um homem, pois bem, sejam bem-vindos que um bocadinho de charme nunca fez mal e a mim muito menos!

Um post cheio de pirraça

Eu não sou muito dado a caganças por isso mesmo, e mesmo só por isso, hoje vou fazer um bocadinho de pirraça às gentes que "aterram" aqui.

Hoje tenho o meu nome na guest list do Lux.

Invejem-me!
(só um bocadinho, vá!)

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Visitas

Depois de ter deparado com o número de visitas aqui, comecei a explorar as estatísticas que o blogger nos oferece.

E surpresa das surpresas o país que mais me visita é...

(som de tambores a rufar)

...

... Brasiuuu... siuuuuu... siuuuuuuuuuuu!

E sendo assim presto a minha singela homenagem deste lado do Atlântico mandando aquele abraço para os meus visitantes!

Obrigado pelas visitas!

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Regresso ao trabalho

Foi hoje...
Custa-me imenso voltar seja depois de um fim de semana ou depois de umas mini férias!

Mas não deveria custar, ou pelo menos, nunca me custou até agora....

Devem ser sinais que o switch off está próximo.

Mas que custou, custou bastante. Para quem trabalha num sítio onde se sente bem, não custa mesmo nada.

Já fui feliz, muito feliz noutras empresas, nesta, o que não vai custar nada é o dia em que sair.

Nesta breve ausência deu para perceber que a mediocridade continua a reinar para aqueles lados. Hoje passaram-me um briefing com as mesmas alterações da semana passada e trocar o fundo de uma imagem para branco. Não é que me custe muito, coisa de cinco minutos, mas se o cliente não tem dinheiro para pós-produção, não há ninguém que lhe diga isso? Assim é trabalhar para o boneco e este é um pequeno exemplo do que se passa num dia de trabalho... Imaginem o resto!

E é com este pensamento sempre presente do bye bye estar próximo que esgaço um sorriso e deixo que passe mais um dia de trabalho.

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Só naquela...

Acabei de ver que tenho mais de 3.000 visitas.

Hip Hip Hooray!
Hip Hip Hooray!
Hip Hip Hooray!

Um post totalmente fútil... ou não!

"Desde que comprei um iPhone a minha vida mudou!"




Não, não fui eu que disse. Mas sou obrigado a concordar com esta frase!

À primeira vista poderá ser uma frase fútil, já a ouvi mais que uma vez de pessoas diferentes. E antes de ter comprado um, sinceramente, não entendia a razão por trás desta frase.

Hoje em dia, posso assegurar  que a minha vida mudou mesmo.



Quem me conhece bem, sabe que quando compro um telemóvel mantenho-me fiel a este gadget até que  este dê a sua alma ao criador.

 Foi sempre assim, todos os meus Nokia mantiveram-se até que de um dia para o outro deixaram de funcionar.
E o mesmo aconteceu com o último Nokia e eis que tive de tomar uma atitude bem refletida de qual seria o próximo. A verdade é que nos tempos de hoje, onde as apps reinam, não me poderia manter fiel à mesma marca de sempre. A Nokia perdeu a corrida a partir do momento que lançaram os smartphones e o monopólio que detinha, rapidamente foi substituído por marcas "novas".



Tinha três escolhas, iPhone, Samsung ou Blackberry.

iPhone - não precisa de apresentações, bom design tanto estrutural como de ambiente, excelente câmara e processador supersónico, é Apple e basta!

Samsung - são bons telemóveis mas o desenvolvimento (na altura) das apps que eu queria era inexistente.

Blackberry - são bons telemóveis para interface empresarial, mas pouco mais.

Obviamente que a escolha não foi dificil, ponderei o custo e vantagens de cada um deles e não vou ser hipócrita dizendo que o iPhone é o melhor na relação preço/qualidade. porque não o é!
O iPhone é caro, excessivamente caro, mas oferece muito mais coisas que a concorrência. E para a utilização que eu queria dar e dou, o iPhone era a escolha óbvia.



Convencidos? Não precisam de o ser, não ando aqui a vender smartphones, o que interessa é que me convenceu e ainda convence, de fato, o iPhone continua a ser o melhor do mercado!
Tem um excelente processador, e dá-me acesso a uma quantidade de informação que anteriormente não tinha acesso.
Penso que estou a tirar o melhor partido do meu, por isso deixo umas dicas de excelentes apps das quais não consigo viver hoje em dia:

Instagr.amé um aplicativo gratuito que permite aos usuários tirar uma foto, aplicar um filtro para ela, e depois compartilhá-la em uma variedade de redes sociais. (fonte: wikipedia)





Fuidum novo tipo de leitor de notícias social. Flud é um lugar onde todo mundo tem notícias personalizadas. Pela primeira vez, as coisas que você lê sobre dão-lhe credibilidade  entre os seus amigos e seguidores. Belo design, interface de usuário simples e integrados ambientes sociais tornam Flud o melhor lugar para ler suas notícias.


Linkedin - rede social para contatos profissionais.

Pinterest
uma rede social de compartilhamento de fotos. Assemelha-se a um quadro de avisos, onde os usuários podem compartilhar e gerenciar imagens temáticas, como de jogos, de hobbies, de roupas, de perfumes, etc. Cada usuário pode compartilhar suas imagens, recompartilhar as de outros utilizadores e colocá-las em suas coleções. (fonte: wikipedia)



Blogger - com esta app posso atualizar o meu blogue através do telemóvel de uma forma simples e muito intuitiva.


Estas são as principais apps que uso diariamente, além do e-mail e facebook.


Conseguem sentir?

Todos nós na nossa vida temos ciclos, uns positivos outros menos positivos.
De há um mês para cá sinto que a minha vida vai dar uma volta bem grande, para melhor.

Felizmente, estou a passar uma fase em que ando muito ocupado, infelizmente 70% desse tempo é no trabalho, numa empresa na qual já pouco me identifico, sinto que a minha carreira estagnou ali.
Estagnar é dourar a pilula, numa conversa com um colega meu, cheguei à conclusão que desde que pus o pé naquela empresa a minha carreira tem ido em queda livre.

Sou das pessoas mais importantes ali dentro, sou eficiente e entrego trabalho de qualidade, e apesar de reconhecerem isso por palavras, os atos não correspondem a esses elogios.
Acredito que todos somos importantes numa empresa pela simples razão que somos uma equipa e se alguém falha, falhamos todos!

Infelizmente nem toda a gente pensa assim, naquela empresa protege-se a falta de empenho, e enquanto houver pessoas que corram o dobro para compensar aquelas que só cumpram horários, está tudo bem.

Sinceramente já pensei que era um "merdas" e por muito que mostrasse o meu valor, nunca seria valorizado por isso, até que há pouco tempo percebi que não era bem assim.
Pedi umas mini-férias, os tais três dias, e só me arranjaram problemas. Tive que ser duro e exigir os meus direitos como trabalhador e só após um período de discussão acederam ao meu pedido.

Nesta conversa, percebi então que o problema não era eu me ausentar por três dias, o problema real é que nesses três dias, a resposta da empresa em termos de qualidade e eficiência iria ficar comprometida porque os tais protegidos não iriam dar conta do recado.
E foi nesse momento que percebi, o que tanto me revoltava as atitudes em relação a certos colegas, para esses bastava pedirem os dias e não havia qualquer discussão, mesmo que já não tivessem direito a férias, porque irem ou não trabalhar pouco afetaria a produtividade da empresa.

Para mim, esta é uma política errada, mas como não sou eu que giro a empresa, só tenho que cumprir com as regras impostas. Apenas sei que esta forma de gerir faz com que os bons se vão embora e os maus encontrem nela um porto de abrigo, já que o mercado não dá hipótese a estes ultimos.

P.S. - Vai-me dar um gozo enorme ver a cara deles quando lhes der a notícia que eles não querem ouvir, eu pelo menos sinto que está para breve e vocês conseguem sentir?

Quase seria um post sobre outras pessoas...

... mas não é!

Por muito que me sinta tentado em desabafar de certas atitudes de outras pessoas, resolvi não fazê-lo.

Este blogue é sobre mim e não sobre os outros. Esses outros que deixaram de fazer parte da minha vida, por isso mesmo, não fazem parte deste blogue.

Estou na reta final das mini-férias, estão a ser três dias bastante intensos, por um lado, na decoração da casa, do qual criei um blogue centrado no meu T1 e do qual não vou partilhar aqui.
E por outro, como já tinha escrito antes, de curtir mais a cidade de Lisboa. Infelizmente o dia é curto e  as 72 horas que me restam são poucas, muito poucas.

Temos de pensar positivamente e sendo assim, o verão ainda não acabou e Lisboa não vai fugir para lado nenhum. :)



terça-feira, 24 de julho de 2012

Como prometido...

Ir ao Sétimo beber uma mini e voltar para contar a história... check!



Tirar um instagram e fazer pirraça ao pessoal que está a trabalhar... double check!


E por hoje é tudo!

domingo, 22 de julho de 2012

3 diazinhos que vão saber que nem ginjas, arroz de pato, ou outro petisco qualquer...

Pois é, finalmente 3 dias de férias, 3 dias de descanço, 3 dias de dolce fare niente... ou não!

Decidi-me a pôr mão à obra nestes ossinhos e resolvi aproveitar a vida, mais propriamente a minha cidade, Lisboa!

É verão e por isso mesmo a cidade está mais que viva. Há tanta coisa nova, e mesmo não sendo nova, há imensas coisas a acontecer.

É altura de explorar o meu novo bairro,  por exemplo, conhecer o Sétimo e tirar uns belos instagrams no horário laboral só para fazer pirraça ao resto do pessoal da firma.

E sendo assim, outras coisas mais estão a ser congeminadas...

Quando se muda de casa, costuma-se dizer que se vai viver a casa, ou seja, passar mais tempo na casa nova.
Pois bem que eu não vou fazer isso, prefiro sair de casa e conhecer novos locais, conhecer bem esta Lisboa que me encanta.

sábado, 14 de julho de 2012

Alma caridosa ou parvo?

Na sexta-feira paguei um almoço a um rapaz desempregado que pediu dinheiro para comer. "-Tens mesmo fome?" - perguntei. O rapaz acenou com a cabeça. "-Senta-te nessa mesa e escolhe da ementa." Sentou-se na mesa do lado e pediu o que quis, no fim agradeceu-me e seguiu rua abaixo. Foi a primeira vez que fiz isso, não sei a sua história de vida, não sei se o que disse seria verdade, sinceramente nem quero saber, a única coisa que sei é que me senti bem por desta vez não virar a cara para o lado e por um momento fazer a diferença na vida de alguém. Se fui parvo ou uma alma caridosa, nunca o saberei, nem quero saber. Tenho reparado que esta crise tem feito muitas vitimas, são os chamados novos pobres que se concentram em algumas zonas de Lisboa à espera das carrinhas que distribuem refeições quentes. Muitas dessas pessoas, já foram da classe média, que por inúmeras razões, se viram de um dia para o outro na rua, a maior parte dos condutores parados no semáforo ignoram-os e aceleram mal cai o verde...

Balanços, balancinhos e balancetes

Quando a vida nos prega uma partida e nos dá um soco em cheio na cara de nos deitar ao tapete, antes de nos levantarmos, devemos fazer um balanço. Ainda não me levantei, mas já refleti e tirei alguns rabiscos do que eu quero para mim. Infelizmente, temos de ser egoístas, para que nos tratem bem. Parece que funciona como íman, as pessoas são atraídas para atitudes egoístas e egocêntricas dos outros. Depois queixam-se, mas pelos vistos, gostam de ser tratadas assim. Vou conseguir? Vamos ver... Noutro balanço, percebi que há pessoas com energia negativa, (sem ser culpa delas), e pessimistas. Na minha vida, fui-me cercando de pessoas assim e irracionalmente fui afastando as pessoas com energia positiva. O mais engraçado é que sempre fui uma pessoa positiva, mas nos últimos tempos, fui azedando um bocadinho talvez influenciado pelas vivências que fui tendo com pessoas menos positivas. Sem me aperceber fui absorvendo o negativismo dos outros, porque naturalmente sou uma pessoa que se preocupa com o proximo, e tenho a certeza que isso me deixou mais negativo. É hora de mudar a forma como vivo a minha vida, chamem egoismo ou o que quiserem, eu chamo sobrevivencia. Isso vai mudar brevemente, deixem-me só levantar do tapete!

Festivais

Nunca fui muito festivaleiro, contam-se pelos dedos as vezes que fui aos chamados festivais de verão. Em primeiro lugar, o preço excessivo dos bilhetes. Em segundo lugar, a oferta. Paga-se muito e temos que levar com uma data de grupos que não me dizem nada. De qualquer das formas, gostava de ver os Snow Patrol, tocam hoje no Optimus Alive no Passeio Marítimo de Algés.

sábado, 23 de junho de 2012

Camping @Home

Isto há coisas do caneco...

E não é que o Ikea vai entrar em saldos no dia 16 de Julho!

E não é que moi même vai ter de dormir num colchão insuflável até lá!

E não é que antes de me ir deitar, vou ter que bombar no pedal!

Só espero que estes 16 dias (!) de colchão camping style, valham a pena... senão fica a aventura para contar aos netinhos.

E que estes ossos de 35 anos a caminhar para o menos jovem, aguentem até lá.

Um post à Benfica

Em 2011/12


Futebol:
Taça da Liga
Quartos Final Liga dos Campeões

Basquetebol:
Campeão Nacional

Troféu António Pratas


Hóquei:
Campeão Nacional
Super Taça

Taça Continental


Voleibol:
Super Taça
Taça de Portugal



Atletismo:
Campeão Nacional



Futsal:
Campeonato Nacional

Super Taça
Taça de Portugal

Este é o Benfica que eu conheço!






sábado, 16 de junho de 2012

Não cometer os mesmos erros do passado

E é isso mesmo!

Prometo a mim próprio, não deixar assuntos mal resolvidos ou más interpretações por resolver ou esclarecer.

Hoje dei um pequeno passo, resolvi um pequeno desaguisado, que poderia deixar marcas.

Sempre gostei de tudo bem esclarecido, porque sou uma pessoa transparente. Talvez por pequenos medos que viviam dentro de mim, deixei que certos assuntos não ficassem logo resolvidos e foram-se acumulando como pequenos novelos de duvidas e más interpretações que foram-me intoxicando e às pessoas que mais me são queridas.

Esta é a minha promessa e como tenho convicções fortes, sei que nunca mais irei esquecer disso!

Ideias fervilham

Começo a ficar mais animado com a história da casa.

Apesar de nos últimos tempos não ter razões para sorrir, a verdade é que não me posso (nem quero!) encostar-me à sombra da bananeira da tristeza e auto-comiseração. Simplesmente não faz parte do meu adn.

Tenho concentrado as minhas energias em projetos para a casa nova. Em projeto, já estão umas coisas engraçaditas. Agora é arregaçar as mangas e materializar essas ideias.

Hoje foi o dia de estar em frente ao computador e procurar inspirações pelas "netes" e achei coisas bastante interessantes.

Uma dica, o pinterest é um bom local para ir buscar boas referências e tem uma app muito intuitiva e muito friendly user!

sexta-feira, 15 de junho de 2012

É sexta-feira! Yeah!

Com o fim‑de‑semana à porta depois de uma semana curta mas dura, temos que começar a projetar planos... Fui ver a minha agenda e ups... Totalmente vazia!

Posso ter a noite de Véspera de Santo António de volta? Pleaseeeee.

Desenrascar boas ideias para a casa

Isto de ter orçamentos limitadíssimos é lixado.

Montar uma casa de inicio sozinho é mesmo muito difícil, posso mesmo dizer quase impossível.
Basicamente a nossa vida muda, para se centrar na casa, todo o dinheirinho extra, deixa de ser extra, para ser canalizado para a casa.

Neste cenário, somos forçados a desenrascar. E sinónimo disso é reciclar, nas "internetes" podemos encontrar excelentes ideias e quase a custo zero!

O meu ultimo desenrrascanço, (este ainda em projeto) é a mesa de apoio para a sala e a fórmula é simples:

1 palete de madeira + 1 balde de tinta branco + 4 rodas + 1 tampo de vidro = 1 mesa de apoio para a sala!

Sigam novos projetos!

Um santo oásis no meio da solidão

Tenho-me sentido só, bastante só, passo a maior parte do meu tempo sózinho...

Mas este post não é de lamento, pelo contrário, na véspera de Santo António, diverti-me, ri muito e estive sempre acompanhado, entre gargalhadas e jolas, a noite passou a correr! Tão depressa que foi, que fui para casa já o sol raiava!

Como deixei o carro bem longe, tive que dar uma longa caminhada, fi-lo com um sorriso estampado na cara, porque apesar dessa caminhada solitária não me senti só.

Já me disseram que tenho um sorriso puro e sincero, se calhar por isso, duas velhinhas que se cruzaram comigo, sorriram de volta!

Os meus colegas se calhar não têm noção mas naquela noite, mudaram uma vida, mesmo que involuntariamente. E eu fico-lhes agradecido pelo momento de extrema felicidade que me proporcionaram.

Para mim, seria véspera de Santo António todos os dias!

segunda-feira, 11 de junho de 2012

I can't get no sleep

Há dias que penso que tenho a vida embruxada...

Quando as coisas parecem até encaminhar no bom sentido e finalmente ter paz de espirito... Pumba!

Começam as duvidas a assaltar-me a mente.
Custa assim tanto viver a vida de uma forma simples e, ser assim mesmo, simplesmente feliz?

Parece que não estou destinado a construir algo com principio, meio e fim... É o fado da minha vida!

Há uma música que fala nos maridos das outras e que encaixa que nem uma luva na minha vida!

Seria mais simples desaparecer, por vezes tenho a sensação que daria um jeitaço na vida das outras pessoas.
Se calhar é mesmo isto que tenho de fazer, resignar-me ao meu destino e desaparecer da vida de algumas pessoas.

Acho simplesmente estúpido o caminho da resignação, porque quem vive e ama intensamente (e não tem tendências suicidas), luta até ao ultimo fôlego!
Mas começo a pensar se vale a pena...

O problema disto tudo é que não consigo fechar os olhos e simplesmente dormir, logo amanhã que é dia de "escola".

Alguém por aí me indica o caminho para ser feliz?

sábado, 9 de junho de 2012

A Sofia fala que se farta...

Tenho uma prima que é como se fosse minha irmã.

Felizmente tive a sorte de acompanhar a sua gravidez do inicio ao fim...

"Vi" a Sofia crescer na barriga dela, um ano e tal depois, está de visita a Lisboa onde fica uma semana comigo.

Está comprida, está loira, (ela nasceu ruiva) e fala pelos cotovelos!

E ainda bem que é assim!
(orgulho do primo/tio babado)

2 anos depois e voilá!

Às vezes reclamamos da vida, quando temos algo por garantido.
(é um facto, faz parte da natureza humana)

Mas de há um ano atrás, que ando numa luta, a exigir os direitos "normais" de um trabalhador dito "normal".

Finalmente consegui o almejado, subsídio de férias! Obviamente que não foi pêra doce e infelizmente tive que ser duro, mas ao mesmo tempo subtil... na verdade, tive que ser um otário pra conseguir o que não deveria sequer mendigar.

Em Portugal, com empresas portuguesas é assim, o capital humano é pura e simplesmente ignorado, se formos empregados exemplares e agirmos de forma correcta e respeitarmos o nosso empregador ficamos na mesma. Se formos uns mete nojo armados em arrogantezinhos, temos o que queremos!



Se alguém lê mesmo este blogue e no final do mês eu não tiver o subsídio, faça-me um favor...
mande-me apagar este post. A gerência agradece.

Orgulho II

Segui o meu próprio conselho do ultimo post, e escrevi a uma pessoa o quão orgulhoso estou dela. Preferencialmente gostaria de lho dizer pessoalmente, mas tenho que respeitar fronteiras que foram impostas. Mas como acredito naquilo que penso, sinto e escrevo, deixei-lhe um pequeno testamento que espero que nao o dê como tempo perdido...

Infelizmente as pessoas nao dão valor a estes pequenos gestos, neste caso em particular, sei que essa pessoa o levará como tempo muito bem gasto! E acredito que acima de tudo, devemos puxar uns pelos outros nestes momentos difíceis!

Se por um minuto, consegui fazer isso na vida dessa pessoa, para mim faz toda a diferença... Quanto custa isso? Nada! E pode fazer uma grande diferença na vida dessa pessoa!

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Teatro São Carlos

Tive o privilegio de poder estar no Salão Nobre do Teatro de São Carlos, para muitos, o teatro mais bonito de Lisboa! Foi ali, mesmo ao lado, que há 35 primaveras eu nasci, um retorno às origens. Mas o que interessa mesmo é o porquê de ter lá estado. Uma amiga minha é bailarina de contemporâneo do CNB (Companhia Nacional de Bailado), aproveitou uma oportunidade e fez a sua primeira coreografia que vai estrear hoje, 6 de Junho. Sinto-me orgulhoso e honrado por ver pessoas assim, apesar do momento económico e do estado do país e em que é mais fácil ficar quieto e falar mal de tudo e todos. Há pessoas com a capacidade extraordinária de contrariarem tudo e todos e enfrentar os velhos do Restelo. Apesar de nao saber, esta minha amiga convidou-me para fazer parte do projecto e como sou menino de aceitar os desafios, acabou por me envolver no seu grande projecto. Esta minha amiga, está grávida, ou melhor, gravidíssima, mas vejo-a aplicada e activa, com uma barriga enorme! Pelo que dizem por aí faltam apenas 5 semanas para a sua princezinha saltar cá para fora... tiro-lhe o meu chapéu de côco, principalmente quando vejo tanta gente a queixar-se de coisas menores! Assim, sem saber, fez-me sentir vivo de novo, num momento da minha vida em que as coisas correm menos bem e nao sabe o bem que me fez! Ou melhor, nao sabe ainda, porque vou fazer questão em dizer-lhe isso mesmo! Acredito que também já toquei na vida de outras pessoas, sempre fui um amigo fiel, daqueles que está lá sempre que é preciso, infelizmente, não tive quem mo dissesse. E isso é tão importante de dizer como ser ouvido! Se alguém lê este blogue, nao percam tempo, se admiram alguém, digam-lhe! Nestas alturas, em que estamos como estamos, este pode ser o melhor anti-depressivo que existe, nao só para quem destinamos a nossa mensagem, bem como, para nós mesmos, é uma chance de verbalizarmos e dar valor a pessoas valiosas na nossa vida!